Viajar é maravilhoso, mas custa caro! Embora a maioria das pessoas precisa juntar dinheiro durante o ano para investir na viagem de férias ou fazer uma poupança sempre que a vontade de conhecer um lugar novo apareça, esse montante nem sempre rende o suficiente se o turista não abusar de estratégias para economizar na hora de planejar a viagem. Neste artigo, o objetivo é apresentar algumas dicas de economia que vão fazer uma enorme diferença no seu bolso e permitir que você curta muito mais sem gastar tanto.

 

Planejamento

Sem planejamento, prepare-se, porque você vai gastar muito! Viagens planejadas saem muito mais barato por diversos motivos. O principal deles é que você consegue determinar formas alternativas de curtir passeios, definir locais de alimentação e hospedagem e até encontrar transporte a preços muito menores do que em casos de imprevistos. Tudo o que é inesperado acaba custando mais caro, já que não há alternativas. O planejamento deve ser feito com bastante  antecedência. Coloque na ponta do lápis quanto você pretende gastar no total e identifique os principais gastos, eliminando aquilo que é supérfluo e substituindo tudo que é superfaturado por opções mais baratas.

 

Converse com muitas pessoas antes de adquirir produtos e serviços

Quem tem boca, vai à Roma!” Certo? Embora o ditado original nem seja esse, ele faz total sentido, especialmente quando queremos saber mais sobre um lugar que não conhecemos. A maioria dos destinos turísticos possui profissionais independentes e também empresas especializadas que oferecem passeios, serviço de guia turístico e diversos produtos. Ao chegar e se interessar por um passeio, por exemplo, jamais feche com a primeira pessoa que lhe oferecer. Uma breve pesquisa pode fazer com que você consiga os mesmos benefícios pela metade do preço e talvez até menos.

 

É possível economizar no transporte

Aqui você pode utilizar a mesma lógica: nunca feche com a primeira companhia ou oferta que você receber. Lembra da parte do planejamento? Ela inclui pesquisa! Certamente você poderá encontrar opções mais baratas do que aquelas que aparecem primeiro. Embora a busca inicial seja nas próprias companhias aéreas e rodoviárias (supondo, é claro, que você não vá de carro), você pode encontrar empresas que comercializam bilhetes a preços muito melhores. Ainda é possível obter renda extra se as suas milhas acumuladas não são suficientes para comprar o seu bilhete: basta vendê-las e reinvestir o dinheiro em um bilhete mais barato, de outra companhia.

 

Reserve a sua estadia com antecedência

A maioria dos hotéis, pousadas e outros tipos de hospedagem fazem promoções para a baixa temporada, permitindo que acomodações sejam reservadas a preços inferiores. Isso garante a manutenção dessas empresas em tempos de baixa, já que exigem pagamento antecipado, ainda que às vezes essa antecipação corresponda somente à parte do valor total da hospedagem. Para quem puder pagar antes, a medida é de grande ajuda. Você pode juntar novamente esse dinheiro e ficar despreocupado com esse custo meses depois, quando for realmente utilizar o serviço adquirido.

 

Cuidado com as “lembrancinhas” e pequenos gastos

Pedir uma lembrança de viagem é quase tão comum quanto viajar! Trata-se de um hábito culturalmente solidificado e às vezes é inevitável ter que comprar presentes para pessoas queridas que ficaram. Nisso, nada há de errado, desde que esse e outros pequenos gastos não extrapolem o valor do transporte, estadia e alimentação. Podemos considerá-los como gastos secundários e que podem ser minimizados com negociação e bastante pesquisa, além de sábias escolhas. Faça uso inteligente das opções que você tem à sua  disposição e lembre-se que o valor dos presentes e gastos supérfluos poderá fazer grande diferença no seu bolso.