Viajar era, antigamente, encarado como um luxo. Acreditava-se que só pessoas com alto poder aquisitivo tinham condições de desfrutar de férias nos melhores destinos, especialmente fora do país. Agora tudo mudou. Entre programas de fidelidade e bilhetes e pacotes promocionais, agora é possível viajar sem estourar o orçamento, desde que estratégias eficientes de economia sejam adotadas. É preciso pesquisar, comparar preços e optar por destinos mais viáveis a depender de cada época do ano. Neste artigo, selecionamos as mais conhecidas estratégias dos brasileiros para economizar na viagem de férias.

 

Comprar tudo com antecedência

 

A economia pode superar os 50% em hospedagem e transporte quando a reserva do hotel e a compra dos bilhetes são feitas com antecedência. Planejamento é muito importante para economizarmos em todos os aspectos da vida e não seria diferente quando falamos de viagens. Na baixa temporada, os hotéis conseguem oferecer descontos interessantes desde que se pague, ao menos metade do valor da estadia, adiantado. No caso das passagens aéreas já é sabido que são mais caras quando compradas de última hora.

 

Optar pela baixa temporada

 

Isso não significa que você vai ter que ir pro nordeste na chuva ou para o sul em pleno verão, mas sim que vai evitar picos de turismo que encarecem absurdamente todos os custos de se passear em um destino muito procurado em determinada data. Você pode pegar o fim e o início da baixa temporada, por exemplo, que o clima certamente irá contribuir com os seus propósitos. Quando não há muita procura, todos os preços de consumo caem, sem mencionar hospedagem e transporte, que fazem ofertas com ótimos desconto para manterem a demanda nesses períodos de baixa procura.

 

Chamar a galera

 

Viajar com amigos e família é muito mais divertido e pode sair bem mais barato do que uma viagem a dois. Viajar em grupo pode trazer muitas vantagens quando falamos do poder de negociação. Além disso, muitos custos podem ser divididos, sem mencionar os descontos em passeios, restaurantes e até mesmo pousadas, que podem concedê-los quando há uma reserva maior de uma só vez.

 

Fazer uso inteligente dos recursos

Essa é essencial e impossível de ser ignorada. Muitas pessoas preferem tentar acumular milhas aéreas e pontos no cartão de crédito para converter em bilhetes. Ter milhas acumuladas pode definir ou não a viabilidade da viagem e por isso é uma boa ser vinculado a, no máximo, dois programas de fidelidade. No entanto, promoções-relâmpago só podem ser aproveitadas devidamente por quem não é fidelizado e isso significa que suas milhas podem ser um entrave para você comprar todas as passagens por um preço mais baixo. Neste caso, há a opção de vender as milhas para uma empresa especializada em transacioná-las. Assim você consegue aproveitar um recurso que seria descartado, ao mesmo tempo que aproveita uma boa promoção de outra companhia aérea. Uma empresa que é referência no setor é a Central Milhas, que já transacionou mais de cem mil milhas e cujos clientes viram verdadeiros “fregueses”, já que permite aumento de renda e emissão de passagens a preços competitivos. Basta acessar o site da empresa e solicitar a cotação dos pontos que você já acumulou.