Uma das datas mais esperadas pelos consumidores brasileiros, fãs de descontos (e quem não é?), está prestes a chegar. A Black Friday, que é uma expressão criada nos Estados Unidos pelo varejo, batizou a ação de vendas anual e acontece na sexta-feira após o feriado de ação de Graças no país. A ideia tomou conta de outros países e virou febre no Brasil. Este ano, a ação acontecerá no dia 24 de novembro em diversos segmentos e lojas, e a expectativa de movimentação gira em torno de R$ 2.19 bilhões de reais, de acordo com a Ebit, empresa de informações do comércio eletrônico brasileiro. Não será diferente com as companhias aéreas, que pretendem se consolidar como um dos principais segmentos participantes do evento. Segundo dados divulgados pelo Google em 2016, a procura por passagens aéreas, nesta data, cresceu 96%. Para este ano, a expectativa é que 60% dos voos tenham redução, segundo a agência de viagem online ViajaNet. A Central Milhas, empresa especializada no intercâmbio de milhas aéreas de diversas companhias aéreas, também vai realizar promoções voltadas à Black Friday. Basta acessar o site www.centralmilhas.com.br e ficar atento às ações que serão divulgadas.

 

Compre passagens aéreas com segurança

 

A Black Friday é escolhida pelos especialistas econômicos como a época mais recomendada para comprar passagens aéreas. Apesar disso, algumas dicas devem ser seguidas para não cair em golpes, que infelizmente acontecem no mundo virtual. Contudo, é possível seguir algumas orientações para evitar dores de cabeça:

Identifique a segurança do site – Em 2013 entrou em vigor a nova legislação que obriga lojas online a informarem em um local visível o número do CNPJ, o telefone e endereço físico. Você também pode pesquisar a reputação da loja, pois existem diversos sites para isso. Caso o site não tenha essas informações, é recomendável que não faça compras nessa página;

Certifique-se de ter um bom antivírus – Muitos sites acabam sendo infectados por hackers, com intuito de roubar dados e informações dos consumidores. É importante que se tenha um bom antivírus instalado no computador, notebook, smartphone ou qualquer outro meio usado para a visita e compra dos produtos. Esses aplicativos ajudam a manter a sua segurança no mundo virtual;

Desconfie de ofertas muito promissoras – Ofertas fora da realidade devem ser analisadas com cuidado, visto que todo benefício tem o seu custo. Um produto que normalmente tem o preço médio de R$ 3 mil reais, não poderá custar R$ 500 reais, mesmo que seja na Black Friday. É possível que esteja comprando algo sem procedência ou sequer receba o produto comprado. O intuito do evento é realizar promoções, mas sem prejuízo para ninguém.